Ciclistas de estrada

rb1

Os passeios pelas montanhas da Madeira são também a preparação ideal para maratonas alpinas e outros eventos de montanha. Em nenhum outro lugar se conseguirão tantos metros verticais como aqui na Madeira…

Passeio I aprox. 85 km / 1500 metros de diferença de altitude
Do Caniço, em primeiro lugar, desce lentamente 17 km com alguns pequenos pontos até Machico, a cidade mais antiga da Madeira. Agora sobe cerca de 15 km, 6% para Ribeira Seca. Depois descemos para a ponta leste da ilha Ponta de São Lorenço. Com boa visibilidade, vemos a ilha vizinha Porto Santo. Agora volta novamente para Machico e depois 9 km no máximo 12% para a Portela a cerca de 750 m de altitude para a Camacha, a famosa vila de tecelões, ficamos na mesma altitude mas há muitos pontos pequenos com 50 – 100 metros de diferença de altitude. Após uma descida de cerca de 11 km chegamos ao Livramento a 300 m, os últimos 6 km até o hotel é só descer a colina.

Excursão II aprox. 85 km / 3000 m de diferença de altitude
Recomeçamos como ontem 17 km até Machico, dali por vários túneis (iluminados) a cerca de 400 m até ao Faial, depois uma descida íngreme até ao Porto da Cruz. Agora a subida de aproximadamente 18 km, até 15% começa por uma grande área de floresta via Faial, Ribeiro Frio até Poiso a 1413 m. Depois segue uma descida muito íngreme via Monte até ao Funchal e depois, tal como o Tour I ao longo dos 6 km de subida ao Livramento e
6 Km até ao hotel.

Passeio III etapa real aprox. 150 km / aprox. 4300 m de diferença de altitude
Desde o hotel, a primeira coisa a fazer é dirigir muito íngreme 7 km até 18 % até Camacha, ao longo do vale paradisíaco a 1400 m até Poiso. Depois a descida de 15 km até ao Faial ao nível do mar – estamos em constante movimento entre os 0 – 500 metros de diferença de altitude, via Santana, São Jorge, Ponta Delgada até São Vicente. Aqui, começa a descida até 18 % e 11 km de comprimento parcialmente íngreme para a Ribeira Brava de volta à costa sul. Segue-se uma subida de 13 km com um comprimento de 5 a 6% no máximo de 14% até à Quinta Grande a 500 m e uma descida de 10 km até à aldeia piscatória de Camâra de Lobos. Depois vai um pouco acidentado até ao Funchal antes de chegarmos aos 6 km de subida final a São Gonçalo e desfrutar da última descida de 6 km até ao hotel.

Tour IV aprox. 120 km / 3000 metros de diferença de altitude
Vamos de carro durante cerca de 15 min. até à Ribeira Brava, daqui segue primeiro suavemente e depois cada vez mais íngreme 11 km até à Encumeada, aos 1007 m, onde viramos para oeste para o planalto dos 1400 m de altitude, atravessamos o “Madeira Nature Park”, onde fazemos a longa descida íngreme até ao Porto Moniz (conhecido pelas suas grandes piscinas naturais) no lado norte. Agora estamos a caminho da Ribeira Brava por inúmeros pequenos pontos de 50 – 100 metros de altitude e milhares de curvas em estradas bem construídas e com pouco tráfego.

Aqui você pode ver os melhores desfiladeiros de cabras de montanha para os anormais da montanha e motoqueiros de montanha.
-Não queremos criar uma fábrica de ciclismo, mas a nossa ideia é conquistar as montanhas da ilha em pequenos grupos, de uma forma desportiva ou de lazer.
O planejamento da excursão é feito individualmente e pode ser alterado a curto prazo, se desejado.
Nós montamos algumas rotas entre 20 e 200 km que podem ser alteradas a curto prazo, se desejado. As condições das estradas na Madeira são muito boas. A nova auto-estrada é uma verdadeira bênção para os ciclistas.
Fora da capital Funchal e no interior quase nunca se encontra um carro. Ao contrário dos ciclistas de estrada, os ciclistas de MTB têm mais facilidade, a maioria dos percursos passa pelas levadas (pequenos canais artificiais de água).
Uma cavalgada por horas pelas belas montanhas sem superar grandes diferenças de altitude. É claro que temos alguns passeios mais exigentes com grandes diferenças de altitude para oferecer. Aqui estão alguns exemplos de passes e cimeiras:

Rib.Brava – Paul da Serra
0 – 1600 m
17 km
1600 Höhenmeter
9,4 % Steigung
Sao Vicente – Paul da Serra
0 – 1600 m
14 km
1600 Höhenmeter
11,5 % Steigung
Canico-Pico – Arieiro
0 – 1818 m
28 km
1818 Höhenmeter
6,5 % Steigung
Porto Moniz – Fonte do Bispo
0 – 1300 m
17 km
1300 Höhenmeter
7,6 % Steigung
Sao Vicent – Encumeada
0 – 1007 m
11 km
1007 Höhenmeter
9,2 % Steigung
Faial – Poiso
10 -1412 m
17 km
1400 Höhenmeter
8,5 % Steigung
Rib.Brava – Encumeada
0 -1007 m
14 km
1007 Höhenmeter
7,0 % Steigung
Funchal – Poiso
0 -1412 m
15 km
1412 Höhenmeter
9,5 % Steigung

Ciclistas de estrada

rb1

Os passeios pelas montanhas da Madeira são também a preparação ideal para maratonas alpinas e outros eventos de montanha. Em nenhum outro lugar se conseguirão tantos metros verticais como aqui na Madeira…

Passeio I aprox. 85 km / 1500 metros de diferença de altitude
Do Caniço, em primeiro lugar, desce lentamente 17 km com alguns pequenos pontos até Machico, a cidade mais antiga da Madeira. Agora sobe cerca de 15 km, 6% para Ribeira Seca. Depois descemos para a ponta leste da ilha Ponta de São Lorenço. Com boa visibilidade, vemos a ilha vizinha Porto Santo. Agora volta novamente para Machico e depois 9 km no máximo 12% para a Portela a cerca de 750 m de altitude para a Camacha, a famosa vila de tecelões, ficamos na mesma altitude mas há muitos pontos pequenos com 50 – 100 metros de diferença de altitude. Após uma descida de cerca de 11 km chegamos ao Livramento a 300 m, os últimos 6 km até o hotel é só descer a colina.

Excursão II aprox. 85 km / 3000 m de diferença de altitude
Recomeçamos como ontem 17 km até Machico, dali por vários túneis (iluminados) a cerca de 400 m até ao Faial, depois uma descida íngreme até ao Porto da Cruz. Agora a subida de aproximadamente 18 km, até 15% começa por uma grande área de floresta via Faial, Ribeiro Frio até Poiso a 1413 m. Depois segue uma descida muito íngreme via Monte até ao Funchal e depois, tal como o Tour I ao longo dos 6 km de subida ao Livramento e
6 Km até ao hotel.

Passeio III etapa real aprox. 150 km / aprox. 4300 m de diferença de altitude
Desde o hotel, a primeira coisa a fazer é dirigir muito íngreme 7 km até 18 % até Camacha, ao longo do vale paradisíaco a 1400 m até Poiso. Depois a descida de 15 km até ao Faial ao nível do mar – estamos em constante movimento entre os 0 – 500 metros de diferença de altitude, via Santana, São Jorge, Ponta Delgada até São Vicente. Aqui, começa a descida até 18 % e 11 km de comprimento parcialmente íngreme para a Ribeira Brava de volta à costa sul. Segue-se uma subida de 13 km com um comprimento de 5 a 6% no máximo de 14% até à Quinta Grande a 500 m e uma descida de 10 km até à aldeia piscatória de Camâra de Lobos. Depois vai um pouco acidentado até ao Funchal antes de chegarmos aos 6 km de subida final a São Gonçalo e desfrutar da última descida de 6 km até ao hotel.

Tour IV aprox. 120 km / 3000 metros de diferença de altitude
Vamos de carro durante cerca de 15 min. até à Ribeira Brava, daqui segue primeiro suavemente e depois cada vez mais íngreme 11 km até à Encumeada, aos 1007 m, onde viramos para oeste para o planalto dos 1400 m de altitude, atravessamos o “Madeira Nature Park”, onde fazemos a longa descida íngreme até ao Porto Moniz (conhecido pelas suas grandes piscinas naturais) no lado norte. Agora estamos a caminho da Ribeira Brava por inúmeros pequenos pontos de 50 – 100 metros de altitude e milhares de curvas em estradas bem construídas e com pouco tráfego.

Aqui você pode ver os melhores desfiladeiros de cabras de montanha para os anormais da montanha e motoqueiros de montanha.
-Não queremos criar uma fábrica de ciclismo, mas a nossa ideia é conquistar as montanhas da ilha em pequenos grupos, de uma forma desportiva ou de lazer.
O planejamento da excursão é feito individualmente e pode ser alterado a curto prazo, se desejado.
Nós montamos algumas rotas entre 20 e 200 km que podem ser alteradas a curto prazo, se desejado. As condições das estradas na Madeira são muito boas. A nova auto-estrada é uma verdadeira bênção para os ciclistas.
Fora da capital Funchal e no interior quase nunca se encontra um carro. Ao contrário dos ciclistas de estrada, os ciclistas de MTB têm mais facilidade, a maioria dos percursos passa pelas levadas (pequenos canais artificiais de água).
Uma cavalgada por horas pelas belas montanhas sem superar grandes diferenças de altitude. É claro que temos alguns passeios mais exigentes com grandes diferenças de altitude para oferecer. Aqui estão alguns exemplos de passes e cimeiras:

Rib.Brava – Paul da Serra
0 – 1600 m
17 km
1600 Höhenmeter
9,4 % Steigung
Sao Vicente – Paul da Serra
0 – 1600 m
14 km
1600 Höhenmeter
11,5 % Steigung
Canico-Pico – Arieiro
0 – 1818 m
28 km
1818 Höhenmeter
6,5 % Steigung
Porto Moniz – Fonte do Bispo
0 – 1300 m
17 km
1300 Höhenmeter
7,6 % Steigung
Sao Vicent – Encumeada
0 – 1007 m
11 km
1007 Höhenmeter
9,2 % Steigung
Faial – Poiso
10 -1412 m
17 km
1400 Höhenmeter
8,5 % Steigung
Rib.Brava – Encumeada
0 -1007 m
14 km
1007 Höhenmeter
7,0 % Steigung
Funchal – Poiso
0 -1412 m
15 km
1412 Höhenmeter
9,5 % Steigung